ÁREAS DE ATUAÇÃO
Societário
Fusões e Aquisições
Investimentos Estrangeiros
Imobiliário
Soluções de Controvérsias
Família e Sucessões
Compliance no Combate à Lavagem de Dinheiro nos Negócios
Mercado de Capitais
Contratos
Tributário
Financiamentos Estruturados
Antitruste
Telecomunicações
Trabalhista
Notícias
TJSP: Mantida sentença que julgou improcedente pedido de resolução contratual « Ver Todas
Ação trata da compra e venda de pet shop. 

A 2ª Câmara Reservada de Direito Empresarial manteve sentença, da 15ª Vara Cível da Capital, que julgou improcedente pedido de resolução de contrato de compra e venda de estabelecimento comercial por suposto inadimplemento contratual. 

De acordo com os autos, os apelantes adquiriram o estabelecimento – um pet shop e comércio de produtos veterinários, incluindo móveis e mercadorias, além de duas linhas telefônicas e um automóvel –, mas, algum tempo depois, ajuizaram a ação sob o fundamento de que a alienante não havia obtido o consentimento prévio do locador do imóvel onde a loja está instalada e que a entrega das chaves teria ocorrido após a data ajustada no contrato, bem com ela os teria levado a erro quanto ao objeto do contrato e que não teria transferido a propriedade do veículo incluído na negociação. 

Para o desembargador Maurício Pessoa, relator da apelação, as alegações dos apelantes não procedem, fato que impõe a manutenção da sentença. ”Não há que se falar em inadimplemento contratual por parte da apelada que cumpriu suas obrigações, sendo totalmente desarrazoado o pedido dos apelantes quanto à procedência da ação, com a resolução do contrato de compra e venda de estabelecimento comercial, a devolução dos cheques e dos valores pagos, e indenização por danos morais. Registre-se que, ao apresentar os cheques a protesto, a apelada agiu no exercício regular de um direito, não configurando sua conduta ilícito gerador da responsabilidade civil pelos danos morais alegadamente sofridos pelos apelantes, mas não havidos.” 

A decisão, unânime, contou com a participação dos desembargadores Claudio Godoy e Alexandre Marcondes. 

Apelação nº 1051659-66.2016.8.26.0100 

http://www.tjsp.jus.br/Noticias/Noticia?codigoNoticia=49936&pagina=1
NOTÍCIAS
28/03/2018
TJMS: Mãe e filha que perderam imóvel por falta de pagamento de pensão serão indenizadas


27/03/2018
TJSP: Sócios devem ser excluídos do polo passivo em ação de execução


27/03/2018
TJPB: Primeira Cível entende que Facebook deve fornecer apenas o IP do computador em processos de ra...


23/03/2018
STJ: Filhos de paciente que morreu após receber medicamento vedado serão indenizados em 300 salários...


Rua Augusta, 1819 - 24º andar - CEP 01413-000 - Tel: (11) 3372-1300 Fax: (11) 3372-1301 - São Paulo SP / Brasil
Criação de Site: R2Labs
Twitter LinkedIn Facebook Orkut Digg Del.icio.us Facebook Twitter